O MONITORAMENTO DE AGLOMERAÇÕES DE PESSOAS PARA O CONTROLE DO FLUXO DE PESSOAS EM PERÍODOS DE FLEXIBILIZAÇÃO DAS RESTRIÇÕES DE CIRCULAÇÃO


Embora grande parte da sociedade, em todos continentes, continuam com determinadas restrições de circulação devido a pandemia do coronavírus, estudos avançam para buscar estratégias de flexibilização das restrições. As análises são fundamentais, pois é importante que quando for possível regular a flexibilização, que seja através de análises que correlacionem o fluxo de pessoas à capacidade do sistema de saúde ofertado pelo Estado.

Atualmente, discute-se o uso de dados de usuários da telefonia móvel para diagnosticar regiões de aglomerações, com a finalidade de monitorar o grau de confinamento social. Contudo, esse tipo de informação poderá ser importante no período de flexibilização das restrições, para que os sistema de saúde possa se ajustar a demanda.

Os dados de posição de usuários de telefonia móvel, oferecem uma excelente amostra do fluxo de pessoas em determinadas regiões, com ressalva de uma parcela pequena da população que não possui celular, ou que não o transporta consigo.

Na perspectiva da melhor representatividade do fluxo de pessoas em determinadas localidades, existem também o monitoramento do fluxo de pessoas através instrumentos que atuam com esta finalidade.

O grupo de pesquisa do IF-SP, formada pelos pesquisadores Luiz Gustavo Xavier Tito, Edson Anício Duarte e João Alexandre Bortoloti, conduziram um estudo em que apresentam um “totalizador de pessoas por recinto fechado”, que trata de um dispositivo eletrônico desenvolvido pela equipe, para monitorar o fluxo de pessoas em recintos fechado, com monitoramento remoto.

Dispositivos com esta finalidade, que possam ser também empregados em áreas abertas, podem se tornar uma ferramenta importante para o Estado, no controle e prevenção de novas ondas de transmissão do coronavírus.

Artigo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *